Conferência "Por Amor ao Património"

No passado dia 23 de setembro, no Teatrinho da Régua, a Direção Regional da Cultura do Norte, DRCN, realizou a conferência “Por Amor ao Património”.

Pretendeu aquela entidade juntar, naquele momento, associações culturais que, no seu território e numa prática solidária, defendem causas e valores patrimoniais e contribuem para a dinamização social, cultural e económica das comunidades em que estão inseridas.

Numa partilha de experiências, de natureza diferente e muito diversificadas, a Comissão de Vigilância do Castelo de Sta. Maria da Feira; os Amigos do Convento de São Francisco, em Braga; a Associação Terras Quentes de Macedo de Cavaleiros; a Associação de História e Arqueologia de Sabrosa; o Grupo de Amigos do Mosteiro de Tibães; a Real Irmandade Rainha Santa Mafalda do Mosteiro de Arouca; a Associação Amigos do Mosteiro de Rendufe; a Associação de Amigos de Tongobriga e o Projeto Arqueológico da Região de Moncorvo revelaram as funções sociais que desempenham num trabalho voluntário, economicamente desinteressado e conscientemente assumido.

Diferentes na idade e no âmbito das suas missões e projetos, explorando as potencialidades do património e do território em que se inserem, estas associações, para além de trabalharem na salvaguarda, valorização e dinamização de bens patrimoniais, fomentam a inclusão social através da cultura e contribuem para a criação de uma cidadania ativa. A prática das suas ações atinge, por vezes, a superação das carências culturais, e mesmo sociais, que o Estado por si só não consegue suprir.

Foi um encontro profícuo e altamente revelador da importância das associações culturais no seio das comunidades, nomeadamente nas do interior do país.

Que venham mais conferências. 

Por amor ao Património lá estaremos.

 

Aida Maria Reis da Mata

Conselho Diretor do GAMT












CRÓNICAS SOBRE A CASA DO POVO DE MIRE DE TIBÃES II

Apresentam-se aqui duas novas publicações sobre a Casa do Povo de Mire de Tibães. A primeira, 3ª publicação desta série, publicada no dia 25/04/2022 e a segunda, publicada no passado dia 07/09/2022, 4ª publicação desta série. Surgiram em secções diferentes do Diário do Minho...




APRESENTAÇÃO DO GUIA DO MOSTEIRO DE TIBÃES

Numa sessão participada e atenta, a apresentação do Guia do Mosteiro de Tibães, editado pelo GAMT, tornou-se numa oportunidade aprazível para obter notícias há muito desejadas sobre obras que irão decorrer no espaço da Igreja do Mosteiro. Existe efetivamente uma certa urgência na realização desses trabalhos!


Consultar aqui artigo publicado no DM em 15 de maio de 2022



CRÓNICAS SOBRE A CASA DO POVO DE MIRE DE TIBÃES

Após o depósito do arquivo da Casa do Povo no Mosteiro de Tibães, este tem suscitado interesse de estudo. A Dr.ª Anabela Ramos decidiu trabalhar a inúmera informação do longo historial da Casa do Povo, presente no arquivo, procedendo a algumas publicações sobre diferentes temas.


No sentido de aprofundar e complementar esse estudo, pediu a colaboração de alguns historiadores como o Dr. Paulo Oliveira e o Dr. José Carlos Peixoto. Pediu igualmente a participação de Florêncio Gonçalves, elemento do conselho diretor do GAMT que tem vindo a efetuar um levantamento das Memórias da Freguesia de Mire de Tibães.


Já houve uma 1ª publicação no dia 3/02/2022 e no último domingo, 27/02/2022, ocorreu a 2ª publicação. Surgiram em secções diferentes do Diário do Minho ...


Para conhecimento, apresentam-se aqui as duas publicações.




Eduardo Oliveira e o ROCOCÓ em Portugal

No passado dia 1 de dezembro, na secção de Cultura, o Diário do Minho publicou um conjunto de textos dedicados ao ROCOCÓ em Portugal e ao nº 7/8 da revista ARTis.

Partilha-se aqui esse suplemento, de autoria de Eduardo Pires Oliveira, associado do GAMT.


Consultar aqui artigo publicado no DM em 1 de dezembro de 2021




Nos 180 anos da Biblioteca Pública de Braga

E, por falar em bibliotecas, na tentativa de arrumar com as leituras de jornais digitais, no Diário do Minho de 13 de julho passado, encontrámos uma publicação do nosso prezado sócio Henrique Barreto Nunes sobre a Biblioteca Pública de Braga. Por ser pertinente esta preocupação com a história e o bom funcionamento das instituições públicas responsáveis pelo tratamento dos livros, a nossa memória ad aeternum, aqui referenciamos esse momento.


(Ver aqui a notícia em .pdf)




O segundo azulejo de Tibães

No passado dia 28 de julho, na secção de Cultura, o Diário do Minho publicou um conjunto de textos sobre o azulejo de Tibães.

Partilha-se com satisfação esse estudo detalhado do azulejo aplicado no século XVIII no Mosteiro de Tibães, editado no jornal Diário do Minho, da autoria do Prof. Aurélio de Oliveira, associado do GAMT.


Consultar aqui artigo publicado no DM em 28 de julho de 2021